sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

Camaquã: Terra de Poesia - Parte II

A saga poética de Camaquã segue nos anos 70 com a presença de Laury Farias dos Santos , poeta e declamador tradicionalista. Nascido em 08 de março de 1930 foi um dos fundadores da Estância da Poesia Crioula. Representou a cidade durante muitos anos em Congressos Tradicionalistas por todo o estado. Seus poemas eram publicados em jornais como o Correio do Povo e nas antologias da entidade o qual vazia parte.Faleceu em 22 de maio de 1974.
No ano de 2001 sua obra foi resgatada no livro póstumo Versos Crioulos.O precursor da poesia modernista camaqüense é Evandro Gomes, nascido em 11 de agosto de 1958, filho de Ederaldo de Souza Gomes, fundador da farmácia mais antiga da cidade. Evandro em 1979 publica o livro poético Cacos & Insetos.

Reticenciamento
Quanto mais eu me concluo
Muito mais eu me improviso.
Resgato-me do dia de ontem
E adio-me para outro século
E por lá invento meu próprio tempo
Num eterno reticenciamento de vida e solidão.

Um comentário:

alceuomouro disse...

gal a iniciativa poesia tem que ser divulgada mesmo que perdida nas frestas da história mas... acredito que deveria tu divulgar teu otimo blog valeu