sábado, 20 de outubro de 2007

Último poema


Não escreverei mais,

Este é o último papel rabiscado.

Cansei dessa bobagem de palavras,

Cansei desse mundo todo errado.

Nunca mais meus sentimentos irão virar versos...

Prefiro sentir eles afogados em minha garganta,

Do que em folhas de cadernos.

Não sou poeta de palavra,

Digo, que não falo a verdade.

Sou poeta da palavra,

Aquela que transmite a leviandade.

Se eu mostrasse a realidade,

Não seria poeta!

O poeta é digno da mentira,

E a poesia da verdade inventada...

Acabo este último poema

Da forma mais inadequada,

Dizendo tudo o que penso,

Sem querer dizer mais nada...



Tári Dorthon

( Apresento com muita honra a amiga e poetisa Meiriane Gonçalves Jacobsen. )

2 comentários:

Luana disse...

Belo poema...
Não sei quem é Meiriane, mas há uma grande coincidência em nossos nomes..


By: Luana Gonçalves Jacobsen...

jose carlos disse...

Excelente poema! Parabéns pelo talento.